quinta-feira, 14 de agosto de 2014

A Saga de "A Place With No Name"

Damien Shields.com, 6 de dezembro de 2013
Por Damien Shields

Em 16 de julho de 2009, apenas três semanas após sua trágica morte, uma parte de uma música inédita de Michael Jackson vazou na internet. O site de fofocas de celebridades, TMZ, postou um trecho de vinte e quatro segundos da faixa, chamada A Place With No Name. Pelos últimos quatro anos e meio, o trecho de vinte e quatro segundos foi tudo o que os fãs de Michael Jackson tiveram acesso. Isto é, até agora.

Há poucos dias, em 3 de dezembro de 2013, a versão completa da música, que é essencialmente um releitura com novas letras do hit de 1972 da banda America, A Horse With No Name, apareceu na internet para o deleite dos entusiastas de Jackson em todo o mundo. Com o vazamento da faixa, vieram as perguntas sobre suas origens - algumas das quais poderiam ser respondidas lendo entrevistas publicadas anteriormente com aqueles que trabalharam na faixa, e outras que permanecem sem resposta. Este artigo tem como objetivo colocar todas as peças do quebra-cabeça em um único lugar e contar a história completa por trás da música.

A Place With No Name foi primeiramente concebida em 1998 por Elliot Straite, um talentoso cantor, compositor, e produtor musical que atende pelo nome de "Dr. Freeze". O executivo John McClain, que empresariava Michael Jackson na época (e é agora, coincidentemente, um co-executor do Espólio de Michael Jackson) deu a Freeze a oportunidade de uma vida - colaborar com o Rei do Pop.

"Eu conhecia o seu empresário, John McClain, e eu estava trabalhando em um álbum com os meus parceiros, Spydermann," relembra Freeze. "Depois de completar o álbum, ele não saiu como planejado e tivemos de cancelar o projeto. Eu estava muito chateado. E então John McClain disse, 'Não se preocupe, Freeze. Eu tenho outro projeto para você. Você vai fazer negócios com Michael.' Eu disse, 'Michael quem?' E ele disse, 'Michael Jackson!'"

"Eu não acreditei em um primeiro momento e achei que era loucura. E então um dia eu estava no telefone com meu pai e alguém me ligou na outra linha... era o Michael! Foi assim que tudo começou... foi assim que nos conhecemos."

"Foi muito assustador para mim! Eu senti como se estivesse de volta à escola primária e sem saber nada sobre produção! Com Michael, eu reaprendi tudo," contou Freeze. "Os outros produtores e eu éramos como alunos em frente ao professor. Com Michael, era como se não soubéssemos mais nada da profissão; tivemos que começar e reaprender tudo novamente. Ele nos ensinou a fazer tudo da melhor forma possível. Michael era um perfeccionista... Eu estava nervoso. Muito nervoso mas muito honrado! Ele sabia tudo sobre a indústria musical; tudo sobre tudo. Nada era estranho a ele, e ele me ensinou muito."

"Eu lhe apresentei muitas canções. As principais músicas nas quais trabalhamos foram Break Of Dawn, A Place With No Name e Blue Gangsta", explicou Freeze. "Estas três eram a nossa prioridade... ele as adorava! Michael e eu, nós temos um talento especial para a melodia," ele continuou. "Então toda vez que eu propunha algo, era fácil para ele estudar a música porque era como se ele já soubesse. Eu dei a ele algumas músicas que ele adorou. Ele as adorava."

"Eu fiz toda a música, e ele só teve que aprender a letra," continou Freeze. "A Place With No Name é em si uma forma de fuga, uma música em que você simplesmente fecha os olhos para se encontrar imediatamente transportado para um mundo maravilhoso. Na verdade, esta canção foi inspirada por A Horse With No Name do grupo America. A letra desta canção é muito profunda. Eu queria atualizá-la, fazer uma versão para os anos 2000 também... o grupo America adorou a ideia. Eles acharam a 'atualização' absolutamente fantástica. Eles estavam realmente animados com este projeto."

Depois de apresentar as faixas a Jackson, a dupla começou a colaborar em ideias musicais no Record Plant Recording Studios em Los Angeles, em agosto de 1998. Na época, o engenheiro e baixista CJ deVillar estava ajudando-os com o lado da engenharia das coisas. Durante a sessão, Freeze disse a CJ que ele queria um som de baixo em A Place With No Name.

"Eu disse a Freeze que eu sabia tocar [baixo] e ficaria feliz em tocar algo pra ele," diz CJ. "Eu trouxe o meu baixo para o estúdio, e alguns dias depois Freeze estava pronto para gravar. O problema era que eu estava um pouco preocupado em tocar faixas de MJ enquanto MJ estava por perto. Eu só não queria arriscar minha posição como um 'engenheiro' brincando com a música de Michael, mas no final era apenas paranoia sem fundamentos da minha parte."

"Independentemente disso, nós esperamos até tarde da véspera quando Michael geralmente ia para casa," ele relembra. "Pelo menos baseado em seu comportamento nas semanas anteriores."

Era 25 de agosto de 1998, quando CJ gravou as partes do baixo no Record Plant. Mas os planos não seguiram como o engenheiro previa, quando Jackson o pegou no ato!

"Quando eu estava certo de que Michael havia deixado o estúdio, eu liguei meu baixo e comecei a brincar com a faixa de Freeze. Mas no mesmo segundo em que eu o liguei, eu vi Michael sair de sua sala de estúdio através do vidro da cabine de voz e seguindo para a sala de controle, então eu pensei, "Uh oh!"

"Michael disse imediatamente, 'O que vocês estão fazendo?', eu respondi timidamente, 'Tocando um pouco de baixo, Mike."

Ele disse, 'Vamos ouvir,' então toquei algumas linhas de baixo ele imediatamente ficou animado e disse: 'Você está gravando?'
'Umm, não Mike, eu estou apenas tentando encontrar um som.'

"Mike disse, 'Toque e grave tudo!' Então eu comecei a tocar. Bem, Michael ligou as caixas acústicas principais BEM ALTO e estava amando o que eu estava tocando."

O que aconteceu em seguida entre Michael e CJ foi verdadeiramente um momento mágico.

"Após alguns segundos, Michael estava todo animado, bem perto de mim, se mexendo, enquanto eu tirava todas essas ideias no baixo," ele relembra. "No final dessa passagem, ele me disse para fazer outra e lá fomos nós de novo. Michael estava dançando no estilo poppin' e lockin', tocando guitarra no ar enquanto fazíamos poses de rock em frente ao console do estúdio."

"Ele dizia, 'Oh year CJ, isso foi fedido! Muuuito fedido!' (uma coisa boa pro Mike) 'Vamos fazer outro!'

"Eu toquei um total de cinco ou seis vezes, com a última vez sendo uma faixa com um groove tão sólido que nós não tivemos de computar um monte de ideias de baixo para tornar a música audível imediatamente," explicou CJ. "Depois de mais de meia hora fazendo rock com Michael e mais alguns playbacks altos, eu fiz uma mixagem rápida em uma fita DAT e o fiz escutar. Ele graciosamente me agradeceu novamente e então foi para casa... eu me diverti muito gravando com Michael e Freeze... isso me mostrou a energia musical implacável de Michael de forma tão vívida."

No dia seguinte, 26 de agosto de 1998, Jackson chegou no Record Plant Recording Studios pronto para gravar os vocais de fundo e os "na nas" com Dr. Freeze, o engenheiro-chefe Mike Ging e o segundo engenheiro, Jeff Burns.

Enquanto a maioria dos vocais de fundo na faixa pertencem exclusivamente a Freeze, há alguns momentos em que os dois gravaram em harmonia e foram em seguida compilados perfeitamente em conjunto por Ging.

Depois de cerca de uma semana ajustando e editando o mix cru de A Place With No Name, que tinha exatamente 8 minutos de duração àquele momento, Jackson se encontrou pronto para gravar o vocal principal. A sessão, novamente gravada por Mike Ging, aconteceu na Record Plant em 8 de setembro de 1998.

O Record Plant Recording Studios tem cerca de seis salas de estúdio no local - duas das quais foram contratadas pela equipe de Jackson. Isso significava que Jackson tinha pouca privacidade com vários outros artistas indo e vindo a qualquer momento a partir dos outros quatro estúdios. Por causa disso, Jackson conduziu suas tradicionais sessões de aquecimento vocal com Seth Riggs antes de chegar ao estúdio para gravar.

"Nós nunca o vimos fazer exercícios vocais na nossa frente," relembra Dr. Freeze. "Mas quando ele entrava no estúdio para gravar, ele ficava diante do microfone e ateava fogo na canção. Quando ele saía, o estúdio estava em cinzas e os nossos queixos no chão. Foi realmente impressionante de se ver."

Os vocais principais de Jackson foram gravados por Mike Ging em um microfone Neumann M149. Vocais adicionais foram gravados em 16 de outubro de 1998 por Ging no Ocean Way Recording, que é comumente referido como Record One. No dia seguinte, 17 de outubro, Ging trabalhou em um novo mix. Dali, A Place With No Name transitou por vários estúdios.

"Andamos em círculos naquela época," disse o engenheiro de gravação, Michael Prince, que pulou entre os estúdios de Brad Buxer e Dr. Freeze. "Em um certo ponto, nós acabamos no Marvin's Place. Então voltamos para o Record Plant, e então voltamos para o Record One novamente."

"Normalmente eu estava trabalhando na maior parte nas músicas que Brad [Buxer] e Michael [Jackson] estavam compondo. Ficamos com as mãos ocupadas com cerca de cinco ou seis músicas, duas das quais, Speechless e The Lost Children acabaram no álbum [Invincible]."

No Record One, em 21 de fevereiro de 1999, seis meses após o início do processo, Jackson, Freeze, Prince, Buxer e Ging revisitaram A Place With No Name, fazendo pequenas edições adicionais.

"Estávamos muito felizes no Record One e foi onde conseguimos completar a maior parte do nosso trabalho. Foi quando Rodney [Jerkins] entrou na equipe. Pelo menos pelo último mês que ficamos na Record One, Rodney, Fred [Jerkins] e LaShawn Daniels estavam lá."

No fim de março de 1999, Jackson voou para Nova York para trabalhar no The Hit Factory com Cory Rooney em uma faixa chamada She Was Lovin' Me. Jackson passou a maior parte do mês no estúdio com Rooney, que lembra que os dois brincaram tanto quanto trabalharam em músicas.

"Nós passamos tanto tempo - eu diria que trabalhamos umas boas duas semanas - fazendo ajustes sozinhos," disse Rooney. "Não apenas os vocais, mas coisas diferentes, harmonias. E levou duas semanas porque nós passamos mais tempo rindo e brincando, conversando e nos divertindo no estúdio. Nós estendemos apenas para nos divertir. No final, passamos a maior parte de abril no estúdio, meio que planejando. Usamos isto como nosso tipo de sede para finalmente colocar o disco em linha."

"Eu poderia ter me aproveitado da situação e tentado produzir seis músicas e conseguir que Michael as gravasse, mas eu não ligava pra isso," acrescentou Rooney. "Eu só queria dar a ele o que fosse que ele precisasse naquele momento. E eu senti que ele precisava se divertir e ter um amigo mais do que um cara tentando empurrar músicas pra ele. Isso foi realmente o que eu senti no meu coração. Nós nos divertimos muito."

Após terminar as sessões de She Was Lovin' Me com Rooney, Jackson decidiu mover todas as sessões de colaboração do Record One em Los Angeles para o The Hit Factory em Nova York.

"Levamos dias para copiar todas as fitas e HDs, e rotulá-los, e então tudo foi enviado para o The Hit Factory em Nova York e passamos meses lá," disse Michael Prince.

O engenheiro da Hit Factory, Paul J. Falcone, trabalhou em um mix de A Place With No Name no começo de maio de 1999, em Nova York. No entanto, após Falcone completar seu mix, a canção foi colocada em segundo plano, junto com She Was Lovin' Me de Cory Rooney e Blue Gangsta de Dr. Freeze, que foi sendo trabalhada ao mesmo tempo que A Place With No Name.

Em meados de 1999, Jackson tinha aparentemente cortado suas antigas colaborações para se concentrar em trabalhar com Rodney Jerkins, e Jerkins fez o mesmo em troca.

"Era minha responsabilidade terminar a música (para She Was Lovin' Me), tornar a música mais forte e melhor," explicou Rooney. "E eu perdi completamente a oportunidade de fazer isto porque eu fiquei ocupado na tentativa de auxiliar Rodney Jerkins a entregar a Michael o que ele queria."

No final, não foi até janeiro de 2004 que A Place With No Name foi revisitada. Jackson pediu para escutá-la novamente e algumas edições menores foram feitas em Neverland.

"Ela melhorou gradualmente," disse Freeze. "Foi um trabalho incremental. Ele escutou os diferentes mixes e mudou alguns detalhes aqui ou ali. Ele estava em total controle criativo. Ele queria que a música fosse perfeita... era um pouco como um diretor procurando melhorar seu filme mudando o roteiro ou trocando os personagens. Este é o tipo de processo que foi usado para criar esta canção e, em geral, o álbum Invincible... tudo que o interessava era ter hits #1."

A declaração de Freeze sobre Michael querer ter hits foi ecoada pelo produtor RedOne, e também pelo próprio Jackson.

"Michael sempre esteve focado em fazer sucessos," disse RedOne, que passou um tempo trabalhando com Jackson entre 2008 e 2009. "Então, ele sempre grava muitas canções e escolhe as melhores delas. Esta é a fórmula dele, que eu amo."

"Foi Tchaikovsky que mais me influenciou," revelou Jackson em uma entrevista de 2007. "Se você pegar um álbum como O Quebra-Nozes, cada canção é matadora, cada uma delas... As pessoas costumavam fazer álbuns em que se tinha uma boa canção, e o resto eram como músicas do lado-B. Eles a chamavam de 'músicas de álbum' e eu me perguntava, 'Por que não podem ser todas um sucesso? Por que todas as músicas não podem ser tão boas a ponto das pessoas quererem comprar se fossem lançadas como single?' Então eu sempre tentei lutar por isso... Essa foi a ideia toda... Eu trabalhei duro para isso."

Além destes ajustes e edições menores de 2004, A Place With No Name foi colocada novamente em banho-maria até ser ressuscitada a apenas um ano da morte de Jackson, em meados de 2008.

"Michael Jackson tinha músicas favoritas, ou músicas que eram obras em andamento," disse Michael Prince. "Assim que Neff-U assumiu o lugar de Brad [Buxer] quando Brad começou a voar novamente em 2008, Michael trouxe algumas canções, incluindo A Place With No Name, e disse, 'Aqui, trabalhe com essa música. Veja o que você pode trazer para esta música.' Os vocais eram praticamente os mesmos, mas Neff-U colocou uma nova música sobre eles."

"Neff-U havia trabalhado originalmente comigo, Michael e Brad Buxer muito antes de 2008," continuou Prince. "Ele veio primeiramente na casa do Brad, anos antes, e trabalhou em algumas coisas que nunca foram lançadas, como Hot Fun In The Summertime - uma canção de 1969 de Sly Stone. Eu acho que MJ cantou só um pouquinho nesta, mas eles estavam tentando um monte de coisas. Neff-U é muito talentoso."

A versão de A Place With No Name que vazou é a versão final que Michael escutou e aprovou em 2008.

"Comparada com a versão de 2004, você percebe que a bateria é diferente na versão vazada de 2008. Tem um padrão de bumbo diferente, a percussão é mais forte, e os "na nas" foram copiados para repetir até o fade" disse Prince, que criou pessoalmente o loop dos "na nas" para Jackson.

As edições de meados de 2008 foram todas feitas no estúdio caseiro de Jackson, em sua propriedade em Las Vegas, na 2710 Palomino Lane. Coincidentemente, Freeze fez uma visita a Jackson em seu estúdio caseiro em Vegas pouco antes de Jackson se mudar para Los Angeles. A dupla havia se reunido para discutir o próximo capítulo da jornada musical de Jackson.

"Eu estava no estúdio com ele pouco antes de sua morte," relembra Freeze. "Para ser preciso, eu me lembro de ir vê-lo em sua residência em Vegas, e havia um estúdio lá... nada foi gravado, nós apenas discutimos. Estávamos prontos para começar a gravar... eu ofereci algumas canções novas que havia composto especialmente para ele."

"Ele gostou muito [das músicas]," diz Freeze. "Esta foi nossa última conversa. Ele disse 'Eu amo você' e voilà, acabou. Ele queria gravar [as músicas], mas ele morreu."

No rescaldo da morte de Jackson, como detalhado no início deste artigo, um trecho de A Place With No Name vazou online, através do site TMZ.

Ela foi rapidamente identificada como um remake de A Horse With No Name do grupo America, o que os levou a comentar sobre a interpretação de Jackson.

"Estamos honrados que Michael Jackson escolheu para gravá-la e estamos impressionados com a qualidade da faixa," disseram os membros do grupo America, Dewey Bunnell e Gerry Beckley, em uma declaração feita à MTV. "Também esperamos que ela seja lançada em breve para que ouvintes de música de todo o mundo possam escutá-la inteira e, novamente, experimentar o brilho incomparável de Michael Jackson," eles acrescentaram. "Michael Jackson realmente fez justiça a ela e esperamos sinceramente que seus fãs - e nossos fãs - cheguem a escutá-la em sua totalidade. É realmente comovente."

Dr. Freeze relembrou seus tempos com Jackson durante uma entrevista para o fansite de Michael Jackson, MJFrance.com, citado em inúmeras ocasiões ao longo desta história.

"Ele era simplesmente a pessoa mais maravilhosa com quem você poderia sonhar em trabalhar," relembra Freeze. "Ele era muito humilde e criativo. Do anoitecer ao amanhecer, ele criava sons, melodias, harmonias... ele podia fazer tudo sozinho. Sabe, Michael era realmente um 'instrumento vivo'... foi uma experiência e tanto para mim. Eu aprendi muito com ele."

A Place With No Name continua idéia até hoje. Dr. Freeze declarou em várias ocasiões que A Place With No Name, assim como Blue Gangsta, serão incluídas no próximo álbum de Michael Jackson. "Isso eu sei. Está confirmado," ele disse, acrescentando que o álbum está previsto para sair na primavera de 2014.



 Traduzido por Bruno Couto Pórpora